sábado, 13 de dezembro de 2014

MORRER DE AMOR




Diz-me...
O que é morrer de amor... Pois acho que já morri...
Que outro nome poderei dar?... A todo este vazio que me apunhala...
Aos olhos baços... aos lábios sem cor... A esta cara encovada...
Diz-me se morri... Pois há dias em que me interrogo sobre o que faço aqui...


8 comentários:

AC disse...

Diz-me, meu amor, ainda me amas? Ainda sentes o calor das minhas mãos? Sentes-me por perto?
Interrogações até ao fim, Marta. É da nossa condição.

Um beijo :)

Carmem Grinheiro disse...

Boa tarde Marta,
Curioso, às vezes também me sinto assim...
Mas se sinto o ar que respiro, se sinto a dor à minha volta, ainda há vida em mim, ainda que magoe.

bj amg

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

O próprio questionar encerra já muito de algo :)

Que bem se escreve por aqui, Marta!

Um beijo amigo

Graça Pires disse...

"Morrer de amor"! Desta expressão transbordam sentimentos vacilantes fixando as mais íntimas contradições...
Muito bom, Marta.
Um Beijo e um Bom Natal.

© Piedade Araújo Sol disse...

eu morreria de amor por ti, para voltar a renascer no teu amor!

:)

Daniel Costa disse...

Marta

Morrer de amor, poeticamente, será uma figura de retórica, que cabe bem num poema.

Desejo felizes e abençoadas Festas de Natal, enquanto desejo bom clima de paz.
Tudo para mantermos em 2015 verdadeira amizade.
Abraços


DE-PROPOSITO disse...

Tentando perceber o poema (mas será que dá para perceber).

BOAS FESTAS e FELIZ ANO 2015

Manuel

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Que neste Natal a magia da criança que fomos esteja presente nos nossos corações...que não seja apenas uma comemoração de um dia, mas que se prolongue por todo o ano...unindo almas com o carinho de uma palavra...o calor de um abraço...a doçura de um sorriso.

FELIZ NATAL junto de todos os que amas
Um beijinho e obrigada pela amizade e carinho enquanto estive ausente.
Sonhadora