segunda-feira, 10 de agosto de 2009

LOUCA INSENSATA


Espero-te,
com beijos insensatos
E, sempre com loucos desejos.

Sei,
que o meu corpo te fala
e te conta como,
eu deixo de ser sensata,
quando te sinto,
quando te penso.

Quero continuar a ser
essa louca insensata,
que te baralha,
ri e chora,
percorrendo o teu desejo,
navegando em ti.

Espero-te.
Nessa insensatez sensata do meu próprio desejo.

(Foto "Test" Domininique Lefort)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)
(Texto já colocado no WAF)

7 comentários:

KrystalDiVerso disse...

A sensatez nem sempre acompanha o melhor pensamento... nem o pior!... Paira, em esforço, sobre o desejo ou falta dele e não está sujeito a qualquer imposição menos... sensata!... A sensatez é admirávelmente perfeita em sua dose equlibrada de falta de sal, de açucar ou qualquer gosto que possa tocar mais lá no fundo; talvez seja sensaborona, água farta para quem não tem sede ou um admirável cozinhado fora do alcance de quem tem fome!... Por outro lado, a insensatez arrasta consigo fontes de prazer, banquetes sem reservas, doses de prazer admirável!... Depois descobrimos que devia haver uma terceira palavra, um terceiro conceito, uma noção ainda mais equilibrada do caminho a seguir!... Na verdade, há um terceiro conceito, uma concepção que permite opções, ainda que mais ou menos inconscientes!... É a opção admirável, seja ela sensata ou insensata!...
Não é admirável?!!!....


Escolha entre... beijos e abraços

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo de tão sensual e insensato, Marta! Vá por esse caminho, que é o seu, e de que vc se desvia não sei por quê.
Beijos,
Renata

Nuno de Sousa disse...

lindo texto... sensual, cheio de erotismo e beleza como tão bem sabes escrever... ficou magnífico e adorei...
Tens mto talento continua.
Bjs
Nuno

Sofá Amarelo disse...

Os beijos só são beijos quando são insensatos... o próprio desejo é insensato... talvez por isso beijo e desejo sejam bons... divinos!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Obrigada por mais um comentário, Marta. Não estou bem mesmo. Fiquei 1 semana sem os calmantes, mas esta manhã e esta noite foram horríveis. Pensei que morreria, que enlouqueceria. Pela manhã, um amigo conseguiu os medicamentos. Já tomei 2 doses, mas parece que desabou um edifício sobre mim, de tanto que me dói cabeça. Fiz aquela publicação ontem, e fiz esta que vc acabou de comentar, e que é a de hoje. Agora será assim: 1 por dia agora. Tenho que deter esse processo alucinante. Amanhã, eu volto para apreciar o seu post em nosso Blog e para ver se vc tem novidades.
Os seus poemas estão cada vez mais lindos, acredite. Eu não seria capaz de dizer isso, pensando o contrário.
Beijos,
Renata

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo e sensual texto...Espectacular....
Beijos

pin gente disse...

também quero, marta... porque gostei!
beijos