sábado, 22 de agosto de 2009

GLORIOSA - PARTE IV





Resolvi..
Com uma manhã tão gloriosa,
cheia de sol e sorrisos,
esqueci-me do que resolvi.
E, como me esqueci, resolvi deambular
pela praia e deixar que o mar me
mordesse os pés.
A flirtar comigo, o mar?
Um convite descarado,
para um tête-à-tête ardente?
Tão ardente como o que nos uniu ontem?
Em que voltei a desconhecer o meu corpo.
(Foto "164" de Georg Suturin)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)
(Texto já colocado no WAF)

8 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Poema sensual, versos com imagens sugestivas, belo.
Marta, publiquei o poema em nosso Blog e o dediquei a vc. Quero que seja a primeira a comentá-lo.
Muito obrigada,
Beijos,
Renata

Ricardo Calmon disse...

Marta Caríssima Nossa:Belo blog,amei,por Renata avisado fui ,te seguirei até a China!
Lindo e ardente post!Ufa!kicalooooooorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!
Bzu mãos suas,poeta nossa!

Viva Vida!

angel bar disse...

Continuação de um bom domingo. Aqui por Porto Covo estou de férias. Beijinhos

Sofá Amarelo disse...

É bom desconhecer o nosso corpo porque assim sentimo-nos mais livres - é bom, não estarmos enleados nas próprias teias que a nossa mente tece... que o mar nos morda os pés...

ParadoXos disse...

belas curvas em forma de palavras!
beleza - sensualidade!!


beijo meu!

Graça disse...

Belo poema, Marta [o IV]. "Um convite descarado" à paixão.


Beijo

ParadoXos disse...

está aceite :-)

avlisjota disse...

o mar é mesmo descarado, não se faz rogado e logo deambula...

sabes é como as sereias, elas fazem o mesmo comigo, mas eu não me importo, pois tem sempre algo novo para me ensinar...

Lindo o teu poema!

beijos José M. Silva