quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O SAPO CANTOR - PARTE VII


" Meu caro Mestre,

Não sei mesmo o que dizer...  Aconteceu tanta coisa desde que o deixei...

Tenho medo que isto seja um sonho e um dia destes acorde para a realidade e o Mestre bem sabe qual é.

 Não lhe posso descrever o meu estado de alma quando me obrigaram a deixar a Floresta e a entrar naquele comboio... 

Agora compreendo como fui egoísta e arrogante ao ignorar os seus conselhos e os do Ancião e continuar com os meus espectáculos fora de horas...

Espero que me perdoe um dia... Mas não falemos mais do que aconteceu, mas sim do momento presente.

Fui convidado para fazer parte de uma Companhia de Ópera e o Mestre Damião, o Director Artístico, diz-me que o conhece bem.

Claro que não vou ser o Tenor Principal; o Mestre tem toda a razão quando diz que sou precipitado, mas posso ser o substituto e o Mestre Damião prometeu que poderia, no entretanto, desempenhar pequenos papéis.

Espero que seja já na primeira ópera da próxima temporada e se assim for, vou convidá-lo para assistir.

Não vou aceitar um " não", Mestre...

Aliás, quero que o Ancião venha também... 

Estou muito entusiasmado, Mestre....

Um grande abraço

CANTOR

(CONTINUA)






 

2 comentários:

Glaucia Jardim disse...

Lindo... Simplesmente lindo!

Sofá Amarelo disse...

A vida do Sapo Cantor ganha contornos que ele próprio já começa a ter dificuldade em gerir, dai "necessitar" da presença de quem o conhece e sabe o seu valor... na vida real também é assim, as pessoas sentem-se mais acompanhadas se estiver alguém conhecido a assistir à sua entrada num novo mundo...