terça-feira, 12 de setembro de 2017

ABENÇOADO - PARTE II


O Tadeu até nem é má pessoa, mas ficou parvo quando conheceu a Esmeralda, aspirante a fadista.

Loira, roliça com um ar tão frágil que o Tadeu a quis proteger.  

Por isso, ao regressar de uma visita à casa de banho, tropeço e quase caio se não fosse a Letícia segurar-me.

" O que fazes aqui, rapariga? " pergunto, pois este corredor é interdito ao pessoal do bar durante o espectáculo.

" Shh..." sussurra e puxa-me para um camarim vazio. Apaga as luzes, deixa uma nesga da porta aberta e esperamos.

Tento falar, mas a Letícia pede-me silêncio. E, esperamos os dois, sei lá por quem ou quê.

O Tadeu aparece, vindo do corredor que leva ao escritório, vestiário do pessoal e armazém.

Uns segundos depois, a Esmeralda (a artista da noite) desce as escadas de serviço e ao ver o Tadeu, suspira:

" Ai, meu amor, esperei todo o dia por este momento!" e os dois beijam-se com tal sofreguidão que eu fico assustado.

" O Jacinto vem cá este noite? " indaga o Tadeu.

" Não, tem uns planos para rever. Podemos ficar juntos a noite toda. Disse - lhe que ficava em casa da Letícia." responde Esmeralda.

" Mentirosa!" murmura a minha companheira do crime.

CONTINUA

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

O enredo está no ar... com todos os ingredientes necessários para agarrar o leitor... espera-se ansiosamente pelas cenas dos próximos capítulos...