terça-feira, 25 de maio de 2021

A FUGA

 

E cá estou eu num pequeno paraíso fiscal; ninguém vai pensar que eu fugi para aqui.

Fiz uma viagem de reconhecimento, estudei o país, as leis, investi numa pequena unidade hoteleira, abri uma agência de consultadoria e comprei uma casa.

Nada luxuoso para não chamar muito a atenção, inscrevi-me num dos melhores clubes para conhecer as pessoas certas e preparei a minha fuga.

Um dia, terei que explicar tudo ao Tomás, mas por agora, é melhor está calado e gozar a vida.

No outro lado do oceano, o Francisco desabafa com a Catarina, nunca pensei que o meu irmão iria fazer uma coisa destas, desviar fundos!

Deram-te pormenores? pergunta a ex-cunhada, mas o Francisco abana a cabeça, não, não, sei que a investigação está a decorrer, mas nada mais do que isto!

Por um lado, ainda bem que já me divorciei, diz a Catarina, mas mesmo assim, foi complicado! Ter sido chamada à Polícia para responder a perguntas um pouco incómodas... eu sei que têm que as fazer, mas mesmo assim...

Compreendo, também mas fizeram, confirma o irmão do ex-marido, o meu Pai não ficou nada satisfeito e detesto ter que dizer isto, mas concordo com ele.

Continuo sem perceber a razão dessa frieza com o teu Pai, interrompe a Catarina, quando o conhecemos bem, é uma pessoa interessante,simpática, divertida. Ah, não atires as culpas para o facto de não ter estado muito presente enquanto cresceram! Vocês são adultos agora!

O Francisco fica corado, reconhece que a Catarina tem razão, o Pai tem sido incansável nestas últimas semanas, não quer desistir de procurar o irmão.

A esta hora, o Frederico está escondido algures, o Francisco tem quase a certeza de que fugiu para um paraíso fiscal, o irmão é bastante inteligente, arquitectou o esquema perfeito.

O Pai tem sido incansável, quer explorar todas as possibilidade, concede o Francisco, mas o Frederico está longe e muito longe daqui!

Essa é realmente uma das hipóteses da Polícia, observa a Catarina, deve ter apanhado um comboio até Espanha ou França e daí até às Caraíbas!

Voltaremos a ter notícias dele? murmura o Francisco, a Catarina encolhe os ombros e responde.

Estou mais preocupada com o que vou dizer ao Tomás.


CONTINUA