quarta-feira, 26 de maio de 2021

A FUGA - PARTE II

 

Enquanto isso, o Major assinala num mapa as rotas que pensa que o Frederico pode ter usado.

A filha mais velha, a Mariana observa tudo atentamente. Acha piada às setas que o Pai desenha naquele papel cheio de traços e pede para fazer uma.

O Major sorri, senta-a no colo e guia a mãozinha. A Mariana ri feliz e os dois estão tão entretidos que nem notam que a Glória e a filha mais nova já chegaram.

A Glória não diz nada, há semanas que não vê o Amadeu tão relaxado. Sabe que ele tenta disfarçar, mas está a ser complicado gerir os acontecimentos.

Há aquela sensação de que as pessoas os estão a observar, discutem o assunto nas costas deles e a maior parte das vezes, os comentários são grosseiros, brutais.

Como se eles fossem culpados pela atitude do Frederico; a Glória não compreende totalmente o que se passou.

O Frederico era um profissional de sucesso, respeitado por todos e a empresa estava a considerar uma promoção com grandes benefícios.

Ou era apenas uma fachada e ele já estava a preparar o golpe.

É um puzzle que a Glória está a construir aos poucos, com base no que o Francisco vai contando.

Um Francisco que está a lidar muito mal com a situação, profundamente desapontado com um irmão que adorava, alguém com quem podia contar.

Estás bem? o Major interrompe-lhe os pensamentos, a Glória sorri-lhe.

Estou bem, tive um dia um pouco complicado, responde, ah, meninas, está na hora do banho, deixem isso para depois, pois as filhas já estão sentadas no chão, a Márcia a mostrar o desenho que fez à irmã.

Eu começo a fazer o jantar, oferece-se o Major, queres um copo de vinho? mas a Glória abana a cabeça e leva as duas miúdas para o quarto.

O Major suspira, vai fazer qualquer coisa simples, amanhã tem que ir às compras e talvez aproveite para ir até à Polícia.

Talvez saibam mais alguma coisa, o Frederico pode ter ir até Roterdão e daí, apanhado um avião para as Caraíbas, quem sabe?

O cunhado da Rita foi prestável, fez-lhe as perguntas certas, até conversou com o colega que se encarregou do caso, mas também o avisou que pode demorar meses, até anos para encontrarem o Frederico.

Mas o Major não quer acreditar, não pode aceitar isso.

CONTINUA


2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Bom dia Marta. Continuo a acompanhar e a gostar muito destas suas histórias.
Abraço e saúde

Cidália Ferreira disse...

Muito bem! Gostei :))
-
Encantamento das estrelas...
-
Beijo e um excelente dia