sexta-feira, 17 de setembro de 2021

O CONFLITO PARTE IV

 

Talvez o ambiente estivesse um pouco tenso, na verdade, concorda o Gonçalo, mas daí a sermos inimigos... estás a exagerar!

Então, fala comigo! pede a Rita e o Gonçalo suspira, já disse tudo ontem à noite! Tens que encontrar uma forma de deixar a situação familiar em casa e concentrar nos objectivos da empresa.

Mas é isso que estou a fazer! insiste a Rita e o Gonçalo abana a cabeça, não, não estás e tivemos prova disso hoje! Notou-se que não estavas 100% concentrada no assunto, tiveste que consultar as tuas notas várias vezes e raramente fazes isso! explica.

Ficam os dois calados por uns minutos e depois, o Gonçalo continua numa voz mais suave, mais calma.

Também estou preocupado com a Matilde, repete, temos que dar todo o apoio possível à Madalena, mas não resolvemos nada estarmos constantemente em stress, a sentirmos culpados. Não estamos a ajudar ninguém! Até a Francisca se está a ressentir da forma como estás a agir. Está assustada, irritada, não dorme, não come bem!

Não vou dizer que não tens razão! admite a Rita, realmente não estou a lidar bem com a situação, não consigo descrever o que sinto, choque, culpa, revolta contra a Matilde por não saber aproveitar as oportunidades, não sei...

Também sinto isso tudo, e o Gonçalo senta-se ao pé dela, aperta-lhe as mãos, oh, querida, temos que continuar a viver, apoiar a Madalena a 100%, mas temos responsabilidades, obrigações, ok?

A Rita inclina-se, beijam-se profundamente e ficam mais uns minutos sentados.

A estagiária bate à porta, há uma chamada para o Dr, atende no gabinete ou passo para aqui? pergunta e o Gonçalo levanta-se, é melhor ser no gabinete, tenho lá os dados, diz e saí.

A Rita arruma os papeis, volta para o gabinete e tenta contactar a Dra Lúcia.

A médica não atende, deve estar com um paciente, pensa a Rita, tento mais tarde.

Nota, então como a secretária está desarrumada e nunca na vida o permitiu! Tenho mesmo que pôr a casa em ordem, murmura e começa a ler os processos.

Uma hora depois, já identificou os mais urgentes, que desculpa vou dar aos clientes? está indecisa quando o telemóvel toca.

Sobressalta-se quando vê o nome da irmã no écran, oh, Deus queira que tenham encontrado a Matilde!

CONTINUA

Sem comentários: