segunda-feira, 27 de setembro de 2021

O ANIVERSÁRIO

 

Quem diria que amanhã faço vinte e cinco anos de casado? E que tenho cinco filhos? 

As pessoas fazem comentários engraçados, mas há quem diga que nos tempos que correm é uma irresponsabilidade.

Não vejo porquê, os meus filhos são felizes e eu e a Carolina não queríamos que as coisas fossem diferentes.

Claro que o nascimento da Inês foi uma surpresa, mas tivemos que nos adaptar como sempre fizemos.

Não foi uma viagem pacífica, nos dois primeiros anos tivemos que viver num apartamento dos meus Pais e pouco tempo depois de nascer o Miguel, a Carolina foi despedida.

Eu estava há pouco tempo numa nova empresa, tinha um contrato de seis meses e o ordenado da Carolina fazia falta.

A minha mulher não desistiu, começou a fazer trabalhos de decoração como freelancer, sempre posso gerir o meu horário, dizia e dois anos mais tarde, abriu a empresa.

Entretanto, eu fui promovido e conseguimos juntar dinheiro suficiente para comprar esta casa.

Nesse ano, nasceu o Matias e no ano seguinte, o Edgar. A Filipa e o Miguel já eram suficientemente crescidos para ajudarem com os irmãos e ambos desempenham esse papel muito a sério.

Ás vezes, penso que eles os controlam melhor que nós, confesso à Carolina na véspera do jantar de aniversário, tem dias, comenta a minha mulher, a Filipa fica um pouco ressentida porque tem que reorganizar a agenda, como diz e tenho que ter cuidado com os jogos do Miguel.... Podem ser um pouco violentos e os miúdos ficam muito agitados.

Ah, sim, concordo, noutro dia, tive que intervir, a D. Margarida estava a ficar louca com os gritos de guerra que vinham do quarto dos rapazes. Confrontei o Miguel e ele explicou que queria sair com os amigos e só o podia fazer se os irmãos ficassem suficientemente cansados para adormecerem logo!

A Carolina ri-se, tem uma certa lógica, admite, porque é que eu não me lembrei disso? diz e eu abano a cabeça.

Temos que organizar outro tipo de jogos, como respeito, consideração, humildade, enumero, creio que o Matias ainda não compreendeu isso e quando o Matias souber, o Edgar também aprende!

Somos interrompidos por novos gritos, não sabemos se são os rapazes ou a Inês que consegue ser uma verdadeira peste e assume sempre um ar de inocente.

Abro a porta da sala, grito, o que é que se passa aqui? Matias, apresente-se ao Comandante Supremo.

Ouço-os cochichar, estão a combinar a história, murmuro e cinco minutos depois, aparece o Matias.

A T-Shirt está rasgada, o cabelo todo despenteado, escorre um fio de sangue do nariz.

A Carolina solta um grito, o que é que aconteceu?

CONTINUA

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Onde mete muita canalha há sempre confusão! Gostei

ps: na primeira frase [ Quem diria que amanhã hoje vinte e cinco anos de casado?] a palavra hoje está correta? Desculpe

-
Silêncios do tempo...
-
Beijos, e uma excelente semana!

Elvira Carvalho disse...

Gostei de ler.
Abraço, saúde e boa semana