domingo, 26 de setembro de 2021

A PROPOSTA FIM

 

Queres comer alguma coisa, Miguel? pergunta o Pai, o Miguel abana a cabeça, ok, lavar os dentes, fazer xixi e cama, diz o Pedro.

O Miguel obedece sem uma palavra, queres que te leia uma história? sugere o Pai, mas o miúdo vira-lhe as costas.

Valha-me Deus, repete o Pedro, está a ficar como a Laura. Tenho que falar com o médico e amanhã!

Mas a manhã corre mal, a Maria Rosa faz uma birra, o Miguel não quer tomar o pequeno almoço e o Pedro desespera.

Chegam atrasados ao infantário, o António telefona-lhe, há certos detalhes a esclarecer, pode passar pelo escritório dentro de quinze minutos? pede e o Pedro não hesita.

Passa parte da manhã com o António, declina o convite para almoço, tenho uma reunião com a Administração do Grupo, explica, depois falo contigo.

Vê que tem uma chamada do infantário, não tem tempo, se não conseguiram falar com ele, telefonam para a Beatriz ou para a Carolina.

Não pensa mais no assunto, tem muita coisa a resolver, é um dia muito longo, está exausto quando entra finalmente no carro para regressar a casa.

Vê o telemóvel, há uma série de chamadas da Beatriz, da Carolina, até da Teresa.

O que é se passa? e liga de imediato para a Beatriz, uma Beatriz muito nervosa que lhe grita, onde é que estiveste? Porque é que não atendeste o telemóvel? Não sabemos onde é que ele está...

Ele quem? interrompe o Pedro, sente um calafrio, é o Miguel, meu Deus! É o Miguel!

Vou já para aí, declara e arranca a toda a velocidade. O trânsito está caótico, o Pedro está desesperado.

Em casa, a Beatriz nem consegue falar e ao vê-lo, foge para o quarto.

É a Carolina quem resume a situação, foi à hora do lanche que deram conta que ele não estava, a educadora pensou que estava com a auxiliar no jardim e a auxiliar que estava com a professora na sala.

Deram logo o alarme, continua o Gustavo, mas como não o encontraram, avisaram as autoridades.

A Polícia? o Pedro tem que se sentar, o cunhado dá-lhe uma palmada amigável no ombro, aconteceu alguma coisa durante o fim de semana? Ele ficou com os avós, não ficou? Ele gosta de lá estar, não gosta? comenta o Gustavo.

A avó disse que ele estava estranho, que se isolou e nem brincou com os outros meninos, conta o Pedro, praticamente não falou comigo, até pensei em falar novamente com a psicóloga.

A Carolina e o Gustavo trocam um olhar, pensam exactamente o mesmo, será que o Miguel herdou as mesmas inseguranças e obsessões da Mãe?

Não dizem nada alto, mas têm a certeza que o Pedro também o pensa.

Ficam ali os três à espera de notícias e já passa das dez da noite quando tocam à campainha e entregam um Miguel muito sujo e muito zangado.

FIM


2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Gostei de ler. Para bem do Pedro espero que o Miguel não tenha herdado os problemas da Laura, mas mesmo que assim não seja, traumas psicológicos com o que tem passado é coisa que não lhe deve faltar.
Cheguei ontem à noite, as férias interrompidas para não deixar de cumprir o meu dever de cidadã.
Abraço, saúde e bom domingo

Cidália Ferreira disse...

Muito bem! Adorei :))
-
Silêncios do tempo...
-
Beijos, e um excelente Domingo.