segunda-feira, 28 de junho de 2021

O DESATINO DA MATILDE

 

Estou a beber demais, estou consciente do facto, mas não faço nada para contrariar.

Está tudo a correr mal, o curso está a ser uma desilusão, tive uma grande discussão com a minha companheira de casa e terminei tudo com o meu novo namorado, João.

Porque é que há homens que não aceitam, não compreendem a razão porque estamos a dizer não?

Cedi ao meu  outro namorado e nem me quero lembrar das complicações que tive...

Foi o que tentei explicar ao João, mas este ficou muito sério, já percebi tudo! atira, és uma púdica e ainda por cima falsa!  A fazeres olhinhos, a dares-me esperança e no fundo, é só show! e afasta-se, descontente.

Recebo bocas trocistas dos amigos dele, mas sigo em frente.

Nessa noite, apanho a primeira bebedeira, falto às aulas e a uma frequência importante, mas penso, quero lá saber.

Repito a dose, a Isabel não gosta de encontrar garrafas espalhadas pela casa, fica furiosa quando não faço as compras da semana e ainda mais quando não faço a limpeza do apartamento.

Tínhamos combinado que nos revezamos a fazer isto, protesta, não temos nada para jantar, o quarto de banho parece uma pocilga...

Ah, não estás a exagerar??? interrompo, não está muito limpo, mas daí a ser uma pocilga.... Quanto ao jantar, vamos ao shopping ou manda vir qualquer coisa...

Não, grita a Isabel, estou farta! Vou jantar a casa dos meus pais, passo lá a noite, espero encontrar tudo limpo amanhã! e saí, batendo a porta com força.

Rio-me, bebo o resto do que há na garrafa, não sei se é gin ou vodca e deito-me no sofá.

Acordo tarde, com a boca seca e cheiro mal.

Levanto-me cambaleante, vou até à casa de banho e suspiro, a Isabel tem a razão, está muito suja.

Limpo-a a fundo, tomo um duche rápido e tento encontrar roupa limpa. Nada! Nem mesmo uma T-Shirt!

Fico abismada, se estivesse em casa, receberia um sermão da Mãe e com toda a razão.

Acabo por vestir o que me parece estar mais limpa, ponho a roupa a lavar e limpo a cozinha.

Depois, vou até à sala, encontro garrafas vazias nos locais mais incríveis e como já tenho dois sacos do lixo cheios, resolvo ir até ao vidrão.

Azar dos azares, encontro a minha Mãe no hall da entrada e não tenho como fugir.

CONTINUA


1 comentário:

Elvira Carvalho disse...

Esta Matilde é a irmã do Gonçalo e da Clarinha?
Abraço e saúde