sábado, 12 de junho de 2021

PEDRO E OS AMIGOS - PARTE V

 

O passeio pela vila é agradável, estamos todos mais descontraídos sem a presença da Clotilde e do Telmo.

Regressamos a casa por volta das cinco da tarde, a Margarida acaba de nos contar uma anedota e ficamos muito surpreendidos por encontramos a Clotilde e o Telmo no hall com as malas feitas.

Acho melhor irmos para a casa, explica a Clotilde, não, não digas nada, apressa-se a dizer quando o Rogério protesta, queremos apenas pedir desculpa pela cena triste que o Telmo fez, especialmente a ti, Pedro.

Sorrio para a tranquilizar, mas a Clotilde nem vê.

Soa uma buzina. a Clotilde chamou um Uber, há despedidas rápidas e quando eles partem, ficamos todos a olhar uns para os outros.

Não vou dizer que tenho pena, diz a Marta, porque não tenho e começamos todos a rir.

O jantar dançante é um sucesso, sinto-me relaxado, mesmo feliz.

O verdadeiro problema é quando vou buscar o Miguel no domingo à noite a casa da Teresa.

Prepara-te, ela vai querer saber tudo, sussurra o António, ela e a Carolina não falaram noutra coisa ao almoço. A certa altura, o Gustavo levantou-se da mesa, estou cansado desta conversa, diz e convida-me para comer a sobremesa no escritório, conta.

Rio-me a imaginar a cena, as minhas irmãs são engraçadas, observo, são mulheres interessante, corrige o meu cunhado.

A Teresa aparece com um Miguel radiante que me estende os braços de imediato.

Então, maroto, portaste-te bem? pergunto e o Miguel ri-se, o que me surpreende, o meu filho não é dado a este tipo de emoções.

Está bem disposto, explica a Teresa, ele e a Inês fizeram umas asneiras, mas nada de mal!

AH, maroto! ralho, mas o Miguel continua a rir.

Correu bem o fim-de-semana? Onde foste? O que fizeste? Conta-me tudo, pede a minha irmã, mas eu apenas lhe dou um beijo.

Adeus, Teresa, até amanhã e afasto-me.

CONTINUA


1 comentário:

Elvira Carvalho disse...

Continuo a acompanhar a história com muito interesse
Abraço saúde e uma boa semana