quinta-feira, 29 de abril de 2021

A EXPLICAÇÃO

 

Tenho saudades do Clube, queixa-se a Rita naquele domingo.

Ela e o Gonçalo saíram com uns amigos, a noite durou até às tantas e acabam de se levantar.

Porquê? pergunta o Gonçalo concentrado a fazer a omolete e a Rita suspira.

A Aída foi promovida, continua, o Nicolau está ocupado com as palestras, os seminários e tanto o Major como o António estão interessados na nova vida que têm. Não me interpretes mal, ainda bem que conseguiram estabilizar a vida, mas o Clube deixa de ser tão importante, acrescenta.

As pessoas definem outras prioridades, observa o Gonçalo, mas tu também tens novas prioridades e estás feliz com isso.

Estou a falar de coisas fora da órbita profissional, protesta a Rita, sinto falta dos debates, dos Mapas que o Major fazia para demonstrar as batalhas, até mesmo dos comentários irónicos do Bernardo.

O Gonçalo fica pensativo, pousa o prato com a omolete em frente da Rita e diz, sentes falta de um filho?

A Rita olha-o surpresa, podemos tentar, comenta o Gonçalo, sei que nunca falamos nisto, mas talvez esteja na altura de o discutir.

Não sei, confessa a Rita, nunca quis ter filhos enquanto fui casada com o Raul, ele era muito instável e o assunto parecia tabu contigo.

Não é prioritário, admite o Gonçalo, adoro os meus sobrinhos, mas o importante para mim era e é estar com a mulher que amo verdadeiramente! Por isso, faço o que tu quiseres... Queres ter um filho?

Mas antes que a Rita responda, a campainha toca violentamente.

Quem será a esta hora e ao domingo? Aconteceu alguma coisa aos miúdos? pensam e o Gonçalo apressa-se a abrir.

No patamar, está a Laura a segurar um Miguel muito zangado.

Olá, posso entrar? e entra sem esperar resposta. Mal cumprimenta a Rita, despe o casaco, atira-o sem cerimónia para cima do cadeirão.

O Miguel fica sentado no hall a choramingar. A Rita tem pena dele, levanta-o e leva-o para a cozinha.

Se bem conhece a Laura, esta deve ter-se esquecido de lhe dar de almoçar.

O Gonçalo fica de pé na sala e espera que a irmã fale.

Como ela permanece calada, pede uma explicação e verdadeira, pede.

CONTINUA

1 comentário:

Elvira Carvalho disse...

Lá vem tempestade. A madame problema está de volta.
Esta nunca vai deixar de dar problemas. Pobre Miguel! Pobre Pedro!
Abraço e saúde