sexta-feira, 30 de setembro de 2022

O CONSELHO DE FAMÍLIA

 

O Miguel telefona aos tios, o Avô está muito doente, os médicos receiam que não passe daquela noite.

Quando o António e o Gonçalo chegam, a Laura está sentada à mesa da cozinha e a Avó também.

O Miguel respira aliviado quando os vê, a Teresa e a Rita também decidiram vir.

A Laura sorri-lhes, não diz uma palavra, está muito apática, sussurra o Miguel, faz o que se lhe pede, mas não mais do que isso!

O António aperta-lhe o ombro, não te preocupes, diz o Gonçalo e apressam-se a cumprimentar a Mãe, tão frágil, tão assustada.

A Teresa e a Rita olham uma para a outra, o ambiente está pesado, sentem-se um pouco perdidas.

O Miguel conta aos tios tudo o que sabe sobre o estado de saúde do Avô, os filhos decidem ir até ao Hospital falar com o médico.

A Rita convence a sogra a deitar-se um bocadinho, a Teresa organiza uma pequena ceia com a ajuda da governanta.

A Laura levanta-se finalmente, vou ver se fecharam bem a loja, anuncia e desaparece no corredor que liga a casa à loja.

O Miguel suspira, senta-se no sofá, estou muito cansado, confessa, estive parte da tarde no hospital, depois tive que consolar a Avó...e creio que a Mãe não percebeu que o Avô pode morrer hoje.

Nem todos processamos as situações da mesma maneira, diz a Rita que entra nesse momento, a tua Mãe percebeu, só que ficar alheada de tudo pode ser uma forma de defesa.

Nota-se que o Miguel não está muito convencido, a Teresa aconselha-o a ir dormir um pouco, acordamos-te se soubermos de alguma coisa, promete a Rita.

As duas mulheres ficam sozinhas na sala, a Laura ainda não apareceu, não será melhor vermos o que aconteceu? sugere a Teresa, mas a Rita abana a cabeça.

Melhor não, deixa-a em paz, aconselha, a verdade é que não sei muito bem como lidar com ela.

Eu também não, concorda a Teresa, a Laura fala muito pouco, está apenas presente! 

E estou presente agora, a voz é bem timbrada e as duas mulheres voltam-se.

A Laura está na entrada do corredor e sorri-lhes.

CONTINUA

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Uma história que começa com um Avô mas piores condições.
Vamos ver e seguir o conto. Vou gostar!!
-
Não importa aonde fomos...

Beijos e um excelente Domingo.

Elvira Carvalho disse...

Ora bem, temos de novo a Laura. E capítulos com ela, nunca se sabe como acabam?
Abraço e saúde