terça-feira, 6 de julho de 2021

A ENTREVISTA - PARTE II

 

Conheces uma Joana Morais, uma jornalista da revista X? pergunta o Bernardes e a mulher olha-o curiosa.

Sim, entrevistou-nos, a mim e à Teresa a propósito da loja e do serviço de catering, responde a Madalena, como é que sabes?

Essa dita jornalista telefonou para a Polícia, queria marcar uma entrevista comigo, explica o Bernardes, pensei que fosse sobre o caso que estou a investigar, mas surpresa, surpresa, ela quer falar sobre a adopção da Clarinha.

Ah, a Madalena está indignada, ela insistiu nesse assunto, eu disse-lhe que era privado, que o importante era o trabalho da loja, esclarece, e descobriu o teu nome e toca a incomodar-te! Maldita jornalista!

Pensa que a história será mais interessante que a da loja e o serviço de catering, continua o Bernardes, eu declinei o convite, assuntos privados são privados. Até avisei o Meireles para ter cuidado com o que diz se ela telefonar.

Mas o Meireles não sabe da história ou sabe? diz a Madalena, o único que sabe o que aconteceu foi o Brites e não temos nada a esconder. Seguimos os protocolos, esperamos o tempo exigido por lei para a adoptarmos legalmente, mas seja como for, é um assunto de família e não é para ser discutido publicamente!!!

Talvez queira salientar o aspecto humano, sei lá, o Bernardes tenta acalmar a mulher, o Brites foi transferido para o Centro, seria um grande azar se ela descobrisse o paradeiro dele. E tenho a certeza de que o Brites não contaria nada.

A Clarinha entra esbaforida, a acenar um papel, teve uma boa nota e quer discutir o assunto com os Pais.

A Rita telefona, encontrou a Matilde um pouco " tocada" à porta, já a mandei tomar um duche, vai jantar e dormir cá em casa, ver se lhe consigo meter senso naquela cabeça, declara, não te preocupes!

A Madalena suspira, conta ao Bernardes, que confessa não saber mais o que fazer e o jantar é um pouco sombrio.

Entretanto, o Sargento Meireles resolve ir tomar um copo num bar perto de casa.

Sentada ao balcão, está uma ruiva espampanante, considera o Meireles e olha-a com interesse.

A ruiva devolve-lhe o olhar, sorri e o Sargento aproxima-se.

Posso oferecer-lhe um copo? e a ruiva volta a sorrir.

CONTINUA

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Ai ai, as ruivas, hehehhe. Adorei :)
-
Sãos teus olhos o mistério escondido
-
Beijos, e uma excelente semana.

Elvira Carvalho disse...

Li agora os dois capítulos. E estou muito curiosa. Será que esta jornalista é familiar da falecida mãe biológica?
E esta ruiva? Será a jornalista? Ou tem a ver com o caso anterior da investigação do Bernardes? E a Matilde que parece estar em muito mau caminho.
Abraço e saúde