segunda-feira, 18 de outubro de 2021

O DOENTE PARTE III

 

A Leonor chega por volta das duas da tarde, uma verdadeira guerreira, comenta a enfermeira, já está a impor a vontade dela no bercário.

Os dois homens respiram de alívio, o Pai está verdadeiramente emocionado, até tem lágrimas nos olhos.

Espero que tenhas tido a mesma reacção quando eu nasci, brinca o Bernardo e em resposta, o Pai abraça-o fortemente.

Mãe e filha têm que descansar, voltem ao fim da tarde, aconselha a enfermeira e os dois saem para a rua.

O Bernardo está muito cansado, acha melhor voltar para casa, como qualquer coisa e faço uma sesta, diz.

Vou contigo, decide o Pai, também preciso de descansar. Aproveito para telefonar aos nossos amigos e anunciar a chegada da Princesa Leonor, acrescenta.

O Bernardo volta a sorrir, preparam umas tostas mistas, o Pai bebe uma cerveja, o filho prefere um Ice Tea.

O Pai oferece-se para lavar a loiça, tenho que praticar, a tua Mãe não vai ter muito tempo livre, explica e o Bernardo estende-se na cama.

Não adormece de imediato, ouve a voz do Pai na sala, de vez em quando há uma risada.

Ainda bem que a Leonor chegou, vai ocupar o tempo dos Pais, talvez eles não se preocupem tanto com ele.

Já não corre perigo de vida, tem apenas que descansar, ganhar forças e depois retomar a vida normal, talvez até regressar a Cabo Verde.

O Bernardo não sabe se quer regressar, foi um desafio que abraçou por completo, acha que atingiu os objectivos da empresa e adorou a vida em Cabo Verde.

O único senão foi a relação com a Cristina, ela está totalmente empenhada no trabalho, não tem tempo a perder e prorrogou o contrato com a ONG.

Talvez vá para o Congo, para o Haiti, não sei, comenta, vou para onde for preciso.

A vida inteira? reclama o Bernardo, compreendo o teu ponto de vista, mas também podes fazer esse tipo de trabalho no nosso País.

Mas a Cristina abana a cabeça, faço mais falta aqui, porque é que não compreendes isso? Estou a fazer a diferença.

CONTINUA

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Muito bem. Ainda bem que a Leonor nasceu com saúde. Acho que uma coisa não descora a outra, pensará o Bernardo. Claro que os pais se preocupam! :)
-
Sonhos, vontades, e outros desejos ...
-
Beijos, e uma excelente semana.

Elvira Carvalho disse...

Estou a gostar da história. Ainda bem que o Bernardo está melhor, mas não acredito na relação dele com a Cristina.
As pessoas que se empenham assim na sua missão, andam de um país para o outro e raramente têm tempo para relações sérias.
Abraço e saúde