FILIPA E TADEU PARTE IV

 

O Tadeu telefona para o Instituto, avisa que só vai trabalhar de tarde, mas a Filipa pede o dia.

O assistente da Mãe já telefonou, o que deve fazer? Cancelar as reuniões desta manhã? pergunta, a Paula pode substituir a Mãe, está ao corrente de todos os detalhes, pode discuti-los com os clientes, aconselha a Filipa.

Mantenha-nos informados, pede, logo que a Mãe puder falar, se houver questões importantes, resolve-se então.

A tua Mãe deve ficar algum tempo de repouso, observa o Tadeu, não deve trabalhar tão depressa.

Não sei, Tadeu, respondo, estou um pouco perdida! Só a Mãe é que pode decidir, vamos tentar, e suspiro.

O Tadeu não diz mais nada, vou até casa, tomar um duche, diz, talvez seja melhor preparar um saco, vais querer ficar aqui uns dias?

Olho-o surpreendida, não tinha pensado nisso, mas é melhor ficar em casa dos Pais uns dias, principalmente para vigiar a Inês.

Sim, é melhor, por causa da Inês, explico, temos é que estabelecer um horário, hoje ela pode ficar em casa da Tia Teresa, mas não todos os dias!

O Tadeu sorri, dá-me um beijo e saí. A D. Margarida chega entretanto, nestes últimos dias, a Mãe estava muito cansada, comenta quando sabe e ajuda-me a preparar os menus para a semana.

Eu e o Tadeu vamos ficar cá uns dias, comento, não sei quando tempo é que a Mãe vai ficar no hospital, a D. Margarida não se importa de deixar o jantar adiantado? quem chegar mais cedo, acaba! digo.

Se for o Edgar, vai ficar tudo queimado! e a D. Margarida ri-se e eu rio também, coisas simples, estufados, pratos no forno.

A D. Margarida dá-me uma palmada amigável na mão, não se preocupe, eu organizo tudo! Porque não vai dormir um bocadinho? aconselha e dez minutos depois, adormeço no meu antigo quarto.

Acordo com a voz do Pai, está na cozinha a falar com a D. Margarida, veio tomar um duche e descansar um pouco, a Mãe só recebe visitas à tarde.

Acabamos por almoçar só os dois, o Matias e o Edgar almoçam na cantina do escola e o Tadeu na cafetaria do Instituto.

O Pai parece ter envelhecido dez anos, noto novas rugas no canto da boca e em redor dos olhos.

CONTINUA


Comentários

Elvira Carvalho disse…
Pudera. Não é nada fácil ver o/a companheiro/a de uma vida doente.
Abraço e saúde
A Vida é dura. Gostei do episódio!

-
Existem silêncios que atropelam ...
-
Beijo e uma excelente noite :)

Mensagens populares deste blogue

ABSURDA

A ENTREVISTA - FIM

A ENTREVISTA PARTE III