domingo, 16 de dezembro de 2018

ELVIRA - PARTE III


Aproveitei uma ida ao nono andar para entregar uns documentos para subir a escada e ver o que estava nas salas fechadas para " manutenção".

Ali estavam cerca de dez, doze caixas encostadas a uma das paredes. 

Estavam completamente seladas e se abrisse uma, o Matos daria conta.

Mas lá em baixo no Departamento havia fita igual e se tivesse cuidado e não rasgasse o cartão, podia ver o conteúdo.

Voltei para a sala, aproveitei a hora de almoço para esconder na secretária o que precisava e esperei.

Contudo, o Chefe não me deu qualquer hipótese de me escapulir, pois precisava que eu revisse uns dados e isso levou-me a tarde inteira.

Ainda me cruzei com o Matos à saída, falamos um bocadinho, mas estava tão cansada que só queria ir para casa.

No dia seguinte, aproveitei a ausência do Chefe e voltei ao décimo andar.

Para meu espanto, as salas estavam vazias. O que aconteceu aqui?

Quem as veio buscar e como?

Intrigada, voltei para a sala e verifiquei a escala.

O Matos estaria no turno do dia o resto da semana, mas eu estaria atenta.

A semana passou-se sem incidentes e na quarta feira seguinte, registrei mais um incidente no décimo andar.

Declinei o convite para almoço da Matilde e da Amália e subi até ao décimo andar, decidida a descobrir o segredo do Matos.


CONTINUA



3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Para começar, o nome Elvira parece-me perfeitamente adequado à personagem. Além de seres uma excelente contadora de histórias de ficção ou meia ficção consegues atribuir nomes às personagens que só podiam ser esses mesmos.

Quanto ao mistério, este adensa-se e a trama está ao rubro...

Cidália Ferreira disse...

Gostei de mais este episódio!:)

Protagonista em tempo presente.
Beijos - Boa noite

Larissa Santos disse...

E será que vai descobrir o segredo? :))

Hoje : A sede do meu devaneio

Bjos
Votos de uma óptima Segunda-Feira