segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

O PLANO DE AFONSO - FIM


O primeiro fim de semana com o Pai após o " incidente " foi constrangedor.

O Pai sabia que tinha que abordar o assunto, mas não como e os rapazes esperavam que ele não tocasse no assunto.

Já tinha sido complicado ouvir a Mãe dizer que o Pai agora era um homem livre, podia andar com outras mulheres e eles tinham que esperar que ele lhe dissesse que podiam ir até lá.

O Pai estranha o silêncio dos rapazes, principalmente do Afonso, mas não insiste.

Quando voltam para casa da Mãe no Domingo à noite, os rapazes suspiram de alívio. Não sabem como proceder e muito menos com que falar sobre o assunto.

Mas o problema resolve-se por si: o Tio Romeu apanha a Tia Eugénia em flagrante, não com o irmão, graças a Deus, pensam os rapazes, mas com um colega de trabalho.

Durante meses, é o assunto dos almoços de Domingo em casa dos Avós e até o próprio Pai se sente envergonhado.

" Não deve ter pensado que a Tia Eugénia era desse tipo." comenta o Pedro.

" Desse tipo como? " pergunta o Afonso, mas o Frederico faz sinal ao Pedro para não dizer mais nada.

O Tio Romeu divorcia-se, a Tia Eugénia faz as malas e muda-se para outra cidade e a família respira de alívio.

Não se fala mais no affair do Pai com a Tia Eugénia, os rapazes estão agora mais interessados nas suas próprias namoradas e ficam curiosos quando o Pai lhe diz que quer que conheçam alguém.

A namorada do Pai chama-se Rute, é alta, elegante, com olhos verdes e cabelos ruivos.

É simpática e divertida e os rapazes aprovavam o caso.

A Tia Eugénia é apenas uma má recordação e os primos contam-lhe que pouco a vêem, pois está sempre muito " ocupada " com os namorados.

Pedro lamenta que a Mãe não tenha conhecido alguém, o Frederico pensa que ela tem um amigo, mas que acha que é ainda cedo para o conhecerem e o Afonso abstém-se de dar uma opinião.

Tornou-se mais sensato, respeita mais os sentimentos das pessoas e aprendeu que a vida muda numa questão de segundos.


FIM

2 comentários:

Larissa Santos disse...

Gostei:))

Hoje : Dança...leviandade minha...
Bjos
Votos de uma óptima Segunda - Feira

Sofá Amarelo disse...

As coisas geralmente acontecem mesmo assim como descreves: a parte masculina "sente" necessidade de procurar automaticamente outras companhias, geralmente os homens não conseguem esperar e depois de sairem de um caso - quantos vezes traumatizante - metem-se logo noutro...nem respiram.

Quanto às mulheres no geral sabem gerir melhor a "liberdade" após uma separação. Dão tempo ao tempo, se se envolvem com alguém é uma coisa muito discreta e muito bem gerida... não quer dizer, no entanto, que quando assumirem outra relação mais séria ao fim de uns meses ou até anos, não voltem a passar outra vez por grandes suplícios... infelizmente!